quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Vespa photo session

Waiting...
Nothing to do beside...
Mobile phone with camera in my pocket...

Idea!

Result.





quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Lisboa em alerta amarelo

Por causa do mau tempo pois! Chuva e vento, principalmente.

Vai daí a PSP / Lusoponte resolveu condicionar o transito a motos e a veículos com lona, na Ponte 25 de Abril. Vai daí estava a ver a coisa mal parada. Vai daí noticiaram que estavam a juntar as motos e os veículos com lona, à entrada da ponte e depois iam em cortejo. Vai daí, fui.

E estavam lá as motos todas paradas e os veículos com lona. E o polícia deu o briefing. E montaram-se nas suas motos e mandaram avançar. E estava lá a jornalista e o camera-man. E... vinha em máximos, ofusquei a imagem!



Mas afinal... nem estava assim tanto vento, fez-se bem. Mas foi bonito ver a ponte só com motos. Obrigado PSP / Lusoponte!

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Exposição mostra a Vespa de «Férias em Roma»

Audrey Hepburn, Gregory Peck e a Vespa em «Férias em Roma»Todos devem conhecer o filme "Férias em Roma"... Não?!? O quê? Olha, olha o Sr. de óculos de massa pretos... Sim, sim, você aí à frente do MacBook branquinho de 2000€... Não conhece!! Bora xingar?!? Não... não... NÃO... calma...

Não conhece, não há problema nenhum, antes de nós conhecermos, também não o conhecíamos, por isso aqui fica um trailer.



Agora, Sr. de óculos de massa pretos, queira primeiro enxugar a lagriminha que teima em correr... Já está? Prooonto, pronto, tudo bem... Jááááá passou. Prooonto... Melhor?

Bom, se achou que o filme valerá a pena, pode sempre ir e... adquiri-lo para visualizar o seu conteúdo integralmente. Ou então, não, mas ficou a saber que este filme existia: conhecimento, partilha, cooperação... Todos ficamos a ganhar!

Mas antes de ser interrompido, queria dizer-vos que caso passem por Roma num destes dias, podem ir "oservar" uma exposição no Museu dell' Ara Pacis onde para além de outros objectos em exposição, podem encontrar a Vespa protagonista desta história.

Sim leram bem, Vespa protagonista.

A Audrey Hepburn foi só a artista bonita à altura da Vespa e o Gregory Peck o macho estiloso e galã, à altura da Audrey!

(como se escreve na Horta das Vespas, P.S.C.O.)

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Pastilhas de travão

Gostavam de saber como se mudam as pastilhas de travão de disco, das Vespas PX? Sabem um pouco de línguas estrangeiras?

Estes links são para vocês!





segunda-feira, 22 de agosto de 2011

O meu 15º Iberovespa

Tive a sorte de pertencer à equipa que organizou este 15º Iberovespa 2011 - Armamar. E tive a sorte de pertencer a uma equipa vencedora. E ainda tive a sorte de, pertencendo a esta equipa, conseguir fazer o gosto ao dedo e tirar umas fotos que podem contar outras tantas histórias. E outros momentos que não conseguiram ser registados, mas que são igualmente importantes e dignos de referência.


OS «PRIMEIROS»

Os Iberos ou quaisquer outros eventos organizados fora da nossa cidade, são sempre mais complicados. As deslocações, as dormidas, a alimentação, o "quartel general", tudo isto foge da nossa rotina, do nosso meio e é mais um elemento desestabilizador para toda a organização. Mais coisas a tratar extra evento. Mas saiu-nos a sorte grande! O nosso Presidente tem família em Armamar e assim conhecemos a Cecilia e o José que nos receberam como se fôssemos da família e nos fizeram sentir confortáveis, seguros, apoiados. Basicamente, em casa. E ficamos a saber que batatas fritas com hortelã é muito, mas mesmo muito bom!


OS «SEGUNDOS»

E não posso esquecer os nossos anfitriões que, dentro das possibilidades e disponibilidade de cada um, tornaram este evento possível: Presidente da Câmara Municipal de Armamar, Sr. Hernâni Almeida, ao Vereador Sr. Pedro Santos, ao Arquitecto Sr. Renato. Pela paciência a amabilidade.


A DIVULGAÇÃO

Festa do emigrante?
Ah... A bela Festa do Imigrante a ombrear com o Iberovespa...


Quando chegamos a Armamar, vimos alguns cartazes, dos que tínhamos enviado, colocados em sítios estratégicos. Eis um deles, exactamente ao lado do cartaz da Festa do Emigrante... Outro vimos na porta do Minipreço. Mas ficava escondido quando a porta automática estava aberta. E como em Armamar fazia um calor que rondava os 40º e o espaço parecia não ter ar condicionado, a porta estava sempre aberta e o cartaz, sempre escondido.


O PASSEIO DE SÁBADO

.:::. ..
O café e um Sr. pouco disposto a diálogos (ou com vontade de dormir a sesta)...



«... depois sobe para cima...»
... e em frente as entusiásticas explicações, com as indicações preciosas como «sobe para cima» ou «tem pouco interesse, são só castanheiros e curvas» ou ainda o «vão pela estrada nacional que é mais rápido»





Já alinhavado, mas feito de carro, tivemos que refazer novamente os passeios, de Vespa, à velocidade que mais ou menos os cortejos circulam. Chegados a São João de Tarouca, fomos refrescarmo-nos a um café local. "Então, vêm aqui passear?" E foi o mote para uma conversa que nos fez aperfeiçoar o caminho de regresso, por uma estrada sem interesse que só tem castanheiros, é lenta e tem muitas curvas. Conseguimos também o contacto do Sr. que fez a visita à igreja do mosteiro, mas que de nada valeu, porque tivemos que lá voltar para falar com ele.


AS REFEIÇÕES

tss tss
Habitué na sombra à porta do restaurante, nas tardes de calor de Armamar



Há que trabalhar, mas também há que comer! E foi o que fizemos e bem (!), apadrinhados pela D. Lurdes e pelo Sr. António do Restaurante Misarela Gostos e Temperos. Ah, não me posso esquecer das simpáticas empregadas também. Forneceram os caldos verdes das refeições que servimos no parque de campismo. As restantes foram fornecidas pelo Catering - Pequenas Delícias.


O PASSEIO DE DOMINGO

serpente de asfalto
Eisxx chavalleeeeeeeee :)


«Acho que ainda não é nesta...»
Nem sempre foi fácil descobrir o caminho pelas melhores estradas municipais



Goujoim
Goujoim, as suas duas escolas e a casa do tabaco



O passeio de Domingo foi o melhor de fazermos. Primeiro porque era mais ao nosso gosto, com um pequeno fora de estrada, na parte da manhã e estradas de serra, na parte da tarde. Depois porque era para ser feito por mapa, da parte da tarde. O que nos permitiu largar as velocidades de passeios em cortejo e fazer o percurso a velocidades normais e curtir as curvas.

Neste dia tínhamos duas alternativas para a parte da tarde e da primeira vez que fomos a Armamar fazer os percursos, só tivermos tempo para fazer uma delas. A estrada era boa, mas o caminho... normal. Demasiado normal. Já com as Vespas, resolvemos ir experimentar a outra alternativa que... depressa passou a definitiva! As estradas e a passagem por Goujoim, uma das aldeias mais interessantes do Concelho de Armamar, valeu o stress de alterar e imprimir o mapa do passeio à última da hora.

15º Iberovespa 2011

Obrigado e parabéns a vocês todos que participaram e estiveram no espírito e fizeram com que tudo isto se tornasse no final, em mais um Iberovespa memorável!

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Vespa summertime feeling

Sombra... por di@photos

terça-feira, 26 de julho de 2011

E agora? Já posso?



Tinha prometido a mim mesmo que até o motor durar de origem, não mexia na Vespa. Não a kitava, quero dizer.

Agora o piston e a culaça foram-se, devido ao perno que trava o segmento superior ter decidido que estava cansado de cumprir (bem!) a sua função e resolver sair do sitio. E o cilindro precisa de ser rectificado...

Já posso mexer no motor?

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Carburadores? Não, não!

Acho que a minha Vespa está a chegar à idade ou à quilometragem em que coisas começam a aparecer e a suceder mais ou menos do nada.

No Domingo passado, chego à Vespa...



[inserir, como notas mentais, tudo o que se segue]

Bolas, deixei a porcaria da torneira da gasolina aberta novamente... Raios partam as boias que não vedam nada pá! Mas... a torneira está fechada... Bem... é mais uma para descobrir com tempo e paciência. Vou abrir a gota e gás na cena!

(torneira aberta)

Epá mas... isto está a ESCORRER gasolina!!!



(interjeições, mentais, de grau elevado que não consigo reproduzir)

Vamos lá ver.

(retiro o balon)

Ora isto vem... de... carburador. Não é novidade, aliás é recorrente. Deixa cá puxar... isto... Está preso...

(desapertar parafusos da tampa do carburador)

Eeeeiiiiiiiiiiiiiiaaaaa pá, isto está bonito está!!!



[acabaram as notas mentais]

[inserir diálogos José Saramago style]

(na Norauto)

Desculpe, mangueira da gasolina? Tipo esta... Não temos. Obrigado.

(na Roady)

Boa tarde, mangueira da gasolina? Assimmmm... Sim, está aqui. Ah boa, quero 70 cm, sff. Queria, só vendemos de 50 em 50 cm. Mas eu só preciso apenas de 70?!? Pois... Entãooooo? 1,50m? Ok. Obrigado.

[acabaram os diálogos José Saramago style]

[inserir notas mentais novamente]

Mede... Corta... Substitui... Ok, feito. Abre a gasolina... Suspense... Não corre para o chão. Boa! E agora... kick... kick.... kick... Pegou!

Siga que já estou atrasado e a culpa foi...



[acabaram as notas mentais novamente]

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Técnica - carburadores

Se são dos que gostam de sujar as mãos e ou tentar perceber um pouco mais de como a vossa Vespa funciona, vão gostar deste link: http://www.webercarburatori.com/?p=handbook.


LEGENDA

1 - Agulha
2 - Boia
3 - Despersor
4 - Gigleur médias
5 - Gigleur altas
6 - Gigleur baixas
7 - Regulação combustível / ar
8 - Regulação ralenti
9 - Guilhotina
10 - Gigleur arranque ("ar aberto")
11 - Abertura do ar

Os princípios físicos, explicações técnicas ou outras informações, está lá tudo, não podem é fazer um simples copy + paste deste conhecimento para os carburadores das vossas Vespas. Mas... se eu fizesse o trabalho todo... era como irem a uma oficina e pagar ao mecânico, certo?

Boa leitura, mãos à obra e bom trabalho!

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Vespaniada 2011 - os mapas

Ora então, pegamos nas Vespas e fomos ali e viemos. Quase todos. Infelizmente um teve que vir de avião. Mas está a compor-se.

Entretanto e no seguimento do meu último texto e das medições GPS, quilómetros e outras medidas métricas que permitem fazer cálculos e mais cálculos... E para, aproveitando as medições, desmistificar o facto que as Vespas de origem não andam nada... E para acabar com a sensação de cá chegar cheio de intenções de assinalar o caminho feito no Google Maps e, bolas, já me esqueci. E por pura... vá porque me apeteceu, instalei uma aplicação gratuita no telemóvel de seu nome: Sports Tracker. Quem é que sabe, quem é? O Pedro 42, outro ilustre autor deste blogue, que me deu a dica da aplicação!

Direccionada mais para desporto, corridas, bicicleta e tal, serve perfeitamente para viagens de Vespa, motos, carros, carroças, naves espaciais, desde que, requisito imprescindível, tenham um telemóvel compatível, com GPS e ligação estabelecida aos satélites.

on the road to Vespaniada 2011

Bom, ide lá ver estes mapas catitas e cheio de informações:

Mapa #1
Mapa #2
Mapa #3

Reparem nas velocidades máximas alcançadas. Em todos eles a aplicação registou velocidades máximas acima do 100 km/h!

Reparem no tempo que demoramos, nestes percursos que, conjugado com as boas velocidades (estamos a falar de Vespas), denotam tempos elevados de paragem.

Reparem também, no Mapa #1, a velocidade máxima que a PX200 alcançou (dica, naveguem nas páginas seguintes que aparecem no vosso lado esquerdo, por baixo das indicações do percurso)... 123 km/h medido por GPS! Anda pouco?

Reparem também que muito andamos por auto-pistas (não foi só, mas acabei por medir apenas estes troços, a razão a seguir), mas tinha que ser, o tempo era pouco para tantos quilómetros.

Super espectacular é o que vos tenho a dizer e que podem também com facilidade comprovar ao consultar os dados. Só um contra; devido às consultas constantes aos satélites, a bateria do telemóvel vai-se num ápice... E esta nem estava viciada.

Próximo melhoramento na PX: ficha de isqueiro!

quarta-feira, 30 de março de 2011

O meu último Zippy 1

Pois nestes dois dias estou a recordar pela última vez a sensação de ter um Zippy 1 novinho à frente. Isto porque é o meu último Zippy. Gostava de saber o que levou a continental a desistir deste pneu na medida 3.50 10. A primeira vez que experimentei o Zippy foi na primeira resistência da era moderna em Fátima. Milagre!!!! Mais concretamente na pista dos Milagres! Milagre!!!! O xoné do Tunes com a sua Vespa Nheca team sem ralenti, sem travões e sem corta corrente, mas com dois zippy novinhos! Chuvia até mais não e nós com zippy novinhos cheios de goma. E tudo a chatear o Tunes "Mas que porcaria de pneus é esta?", "Pneus novos vamos cair!!!!" O facto é que desde a primeira volta que os zippy mostraram porque é que são dos melhores pneus que alguma vez foram feitos para a Vespa. E infelizmente não há mais! Acabou-se o que era doce! Tenho de os aproveitar estes 5000km que espero que venham a durar.... os meus últimos Zippy!!!! E se tudo correr bem... 2500km vão já nestes quatro dias que aí vêm... que chatice..... :-) Vespania aqui vamos nós!!!!!

Medidas «precisas» de GPS

Sempre tinha confiado no meu conta quilómetros para medir a distância percorrida, casa - trabalho, e segundo o mesmo rondava os 24 quilométricos percorridos.

Busted!

Segundo o velhinho Nokia 6210 Navigator que pode ser oldtimer mas ainda funciona melhor que outros modelos recentes com GPS, isto não é bem verdade, como mostra a imagem.

Apesar de ter um alerta de que a ligação ao GPS se tinha perdido algures durante o percurso, parece-me que os dados estão correctos (fui verificar ao Google Maps e deu 21,4 quilómetros percorridos), por isso há que confiar na velocidade média e máxima também.

Ora estas medições abrem todo um novo mundo de cálculos permitidos...

Há que continuar a medir!

quinta-feira, 24 de março de 2011

Pensamento(s) da semana

A Vespaniada deste ano, infelizmente, não vai ser limpa pelos Tugas como foi em anos anteriores. Talvez devido à distância que a se realiza, Valencia, o cortejo português vai-se resumir a pouco mais de meia dúzia de Vespas... Poucos mas bons. Mas acabámos por ganhar à mesma, pois o primeiro inscrito, mesmo antes de qualquer espanhol, inclusive os organizadores do evento, é português!

A buzina faz-me tanta falta no dia-a-dia como o café com leite e os biscoitos pela manhã. Há conjunções astrais que levam os outros condutores a concederem-me a gentileza de a utilizar nervosamente. Pena não estar operacional.

O Tucano Urbano ao sol, fica molinho e escalda as pernas como o raio. Mas de manhã ainda está frio e ainda virá aí chuva, acho cedo para o desmontar (e deixar-vos o veredicto assertivo, depois de um inverno, não muito rigoroso, de uso).

Em menos de um ano - de Maio de 2010 a Março de 2011 - perfiz a simpática marca de 11212 quilómetros na PX. Muitos no dia-a-dia, poucos em estrada aberta.



Hoje pela primeira vez abasteci 11,11€ de sem gasolina sem chumbo 95, apesar de ir às bombas do Jumbo que jorram o precioso líquido a 1,449€/l.

Devido a um problema de retenção de líquidos dispendiosos no sítio em que deviam estar, a minha Vespa gasta mais parada do que a andar, humpf!

Ocorreram-me mais umas coisas, mas já não me lembro...

segunda-feira, 14 de março de 2011

Scooter quiz



Para ajudar mais um bocadinho, aqui vai outra foto.

Quem acertar na identificação deste modelo ganha... montes de coisas!

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

E ao Sábado, desmontou-se.

Uma Vespa PX 125 T5.

Para ver se se restaura qualquer coisa que já vão uns anos sem fazer nada, a não ser andar de Vespa sem problemas de maior. Chatice (toc toc toc)!

De entre os muitos parafusos com um altíssimo teor de imaginação ou o poder do desenrasca com capacidade fora do normal sobre os parafusos desta Vespa, ressalta este fusível eterno que resolve problemas eléctricos com fusíveis que fundem com muita facilidade e frequentemente.

Vespa PX125 T5

E o terminal de ligação?

Podia fazer uma longa lista exaustiva das sucatices encontradas e ter tirado tantas mas tantas fotos. Mas agora não me apetece e também não me apeteceu no Sábado, além de que poderia ferir as susceptibilidades do anterior dono, independentemente de achar que ele já não se lembra de mim porque eu também já não me lembro de quem era esta Vespa.

Mas nunca fiando...

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Muitas humidades?

Farto de fatos de chuva caros que duram um ano e começam a meter água como um barco naufragado? Eu estava! Vai daí e resolvi voltar aos fatos de trolha.



Tudo se proporcionou numa visita despreocupada a uma grande superfície de artigos de bricolage em que os fatos VITO, expostos logo à entrada, tinham um apelativo cartaz a anunciar o ainda mais apelativo preço promocional de... digo? 8€

Comecei a fazer contas mentalmente e partilho-as com vocês.

Sabendo que o meu fato de chuva "bom" - comprei-o como tal numa loja da especialidade - durou um ano a fazer o que era suposto e me custou 60€ e que, fui no outro dia perguntar, uma impermeabilização do dito fato - mas com lavagem incluída, frisou a Sra. da lavandaria - custa 20€, temos que:

fato de chuva "bom"             60€
impermeabilização          +    20€
                                         --------
                              total       80€

Bolas, venham os 10 fatos de chuva de trolha a que tenho direito!!!

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Ainda tinham dúvidas que as Vespas estão em todo o lado?



Nas manifestações que estão a ocorrer no Egipto...

segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Ur writin' it wrong!



sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Outra Vez?!?

Aqui há uns tempos, vínhamos da Costa Alentejana, viagem perfeita, sem nada a declarar e à saída do ferry, em Setúbal a PX começou a falhar, vá de acelerar, outro soluço e mais outro, acelera outra vez, até que soluçou de vez e "morreu". Vê a faísca, não dá, vê isto e aquilo e o outro... Ok, foi a bobine de alta. *

Aqui há uns dias, a semana passada mais precisamente, saio do trabalho, arranco, tudo impecável e ao engatar a segunda, a PX engasgou-se, foi-se a abaixo e por mais que desse ao kick, "morreu". Saca o balon, desmonta, não tem faísca, etc e tal... Foi o pickup. **

Ontem, a descer aquela rua com quem vai para aquele sítio, deslizando suavemente ao sabor da inclinação, a PX começa a falhar, acelero, falha mais, credo que som esquisito que vem do motor, até que falha de vez e, por mais que engatasse a segunda e acelerasse, nada a fazia pegar. Tenta mais uma e mais outra, nada... Bolas, a semana passada e agora esta? "Morreu" de vez? Desmonta, descanso, saca balon... Foi o fio da vela que tinha saltado. ***

---------------------------------

* - obrigado ao João Serra pelo empréstimo de um prato de bobines para desenrascar.

** - a primeira vez que a PX andou de reboque. Espero que não se habitue! Obrigado ao Manel das Vespas da Old Scooter, pelo fora de horas a resolver a avaria.

*** - palavrões e mais interjeições! Outra Vez?!? Queres ver que... Ah, alívio, afinal é só o fio.